Marcelo Gomes

Divulgação
Marcelo Gomes

Ajude-nos a atualizar seu perfil.
Envie suas informações para quemequem@filmeb.com.br

Atividade: 
Diretor, Roteirista

Cineasta nascido em Recife, em 1962, teve seus primeiros contatos com o cinema como participante de um cineclube que criou em sua cidade natal. Em 1991, ganhou uma bolsa para estudar cinema na Universidade de Bristol, Inglaterra. Dois anos depois, voltou ao Brasil e fundou a produtora Parabólica Brasil, onde realizou curtas e vídeos ao lado de Adelina Pontual e Cláudio Assis. Em 1995, dirigiu o curta-metragem Maracatu, maracatus, que recebeu os prêmios de melhor filme, ator e som no Festival de Brasília. Em 2002, foi corroteirista do longa-metragem Madame Satã, de Karim Aïnouz. Em 2005, lançou seu primeiro longa-metragem, Cinema, aspirinas e urubus, selecionado para a mostra Um Certo Olhar do Festival de Cannes. Desde então, escreveu roteiros de vários filmes e dirigiu longas-metragens selecionados para mostras internacionais e premiados em festivais nacionais. Em 2012, dirigiu e roteirizou Era uma vez eu, Verônica, filme vencedor de sete prêmios no Festival de Brasília. O homem das multidões (2013), codirigido com Cao Guimarães, foi selecionado para a mostra Panorama do Festival de Berlim. Seu filme mais recente, Joaquim (2017), foi selecionado para a competição pelo Urso de Ouro na Berlinale.

Filmografia selecionada:

Diretor
 

  • Joaquim (2017). Selecionado para a Competição do Festival de Berlim.
  • O homem das multidões (2013). Codirigido com Cao Guimarães.
  • Era uma vez eu, Verônica (2012). Vencedor dos prêmios de melhor filme e melhor roteiro no Festival de Brasília 2012
  • Viajo porque preciso, volto porque te amo, em parceria com Karim Aïnouz. Selecionado para o mostra Horizontes do Festival de Veneza em 2009. Prêmio de melhor direção do Festival do Rio de 2009.
  • Cinema, aspirinas e urubus (2005). Selecionado para a mostra Um Certo Olhar do Festival de Cannes. Prêmio especial do júri e o de melhor ator para João Miguel no Festival do Rio de 2005. Prêmio de melhor filme na Mostra de São Paulo de 2005. Troféu de melhor filme ibero-americano no Festival Int’l de Guadalajara de 2006. Prêmio de melhor fotografia no Prêmio ABC.
  • Clandestina felicidade (1998). Curta-metragem codirigido com Beto Normal. Prêmio de melhor atriz e prêmio da crítica em Gramado. Prêmio de melhor fotografia e montagem no Cine PE.
  • Maracatu, maracatus (1995). Curta-metragem. Prêmios de melhor filme, ator e som no Festival de Brasília.

 

Roteirista

  • O homem das multidões (2013). Escrito com Cao Guimarães.
  • A casa de Alice (2007), de Chico Teixeira. Com parcerias.
  • Deserto feliz  (2007), de Paulo Caldas
  • Madame Satã (2002), de Karim Aïnouz