Carlos Diegues

Divulgação

Ajude-nos a atualizar seu perfil.
Envie suas informações para quemequem@filmeb.com.br

Atividade: 
Diretor, Produtor, Roteirista

Diretor, produtor e roteirista, é um dos nomes mais importantes do cinema brasileiro desde o período do Cinema Novo. Representou seis vezes o Brasil no Festival de Cannes, além de ter participado do júri oficial do mesmo festival em 1981. Seus filmes foram selecionados para vários outros festivais internacionais como os de Veneza, Berlim, Toronto, Nova York, Locarno, Roterdã e San Sebastian, e ganharam mais de 20 prêmios internacionais, entre eles o de melhor filme no Festival de Londres (Bye bye Brasil), o de melhor direção no Festival de Havana (Veja esta canção), e o de melhor filme no Festival de Cartagena (Orfeu). Nascido em Maceió, Alagoas, em 1940, é radicado no Rio de Janeiro. Tem sido um nome influente na formulação da política cinematográfica do país desde os tempos da Embrafilme, até a implantação da Lei do Audiovisual e a criação da Agência Nacional de Cinema (Ancine). Produziu e coordenou as filmagens de 5 x favela – Agora por nós mesmos (2010), longa-metragem composto de cinco episódios realizados por diretores egressos de comunidades carentes do Rio de Janeiro, selecionado para o Festival de Cannes. Em 2012, foi convidado pelo Festival de Cannes a ser presidente do júri da Caméra D´Or. Entre longas de ficção, dirigiu documentários e produziu filmes, entre eles 5x Favela, agora por nós mesmos (2010) e Não devore meu coração (2017). Foi escolhido em 2018 para ocupar a cadeira 7 da Academia Brasileira de Letras (ABL), anteriormente ocupada por Nelson Pereira dos Santos.

Filmografia selecionada:

Diretor

  • O grande circo místico (2018). Seleção oficial do Festival de Cannes - fora de competição.
  • Rio de fé (2013)
  • Vinte – RioFilme, 20 anos de cinema brasileiro (2013)
  • O maior amor do mundo (2006). Grand Prix des Amériques na categoria de melhor filme, no Festival de Montreal, no Canadá. Prêmio de melhor filme pelo júri popular jovem no Festival de Biarritz, na França.
  • Nenhum motivo explica a guerra (2006). Codirigido com Rafael Dragaud.
  • Deus é brasileiro (2003)
  • Tieta do Agreste (1995)
  • Veja esta canção (1994). Prêmio de melhor direção no Festival de Havana.
  • Orfeu (1999). Prêmio de melhor filme no Festival de Cartagena. Prêmio de melhor filme no Grande Prêmio Cinema Brasil.
  • Um trem para as estrelas (1987). Selecionado para a mostra competitiva do Festival de Cannes.
  • Quilombo (1983). Selecionado para a mostra competitiva do Festival de Cannes.
  • Bye bye Brasil (1979). Selecionado para a mostra competitiva do Festival de Cannes. Prêmio de melhor direção no Festival de Havana.
  • Chuvas de verão (1977). Selecionado para a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes.
  • Xica da Silva (1976). Prêmio de melhor filme e diretor no Festival de Brasília.
  • Quando o Carnaval chegar (1972)
  • Os herdeiros (1970). Selecionado para a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes.
  • A grande cidade (1966)
  • Ganga Zumba (1964). Selecionado para a Semana da Crítica do Festival de Cannes.
  • Cinco vezes favela (1961). Episódio Escola de Samba – Alegria de Viver.

Roteirista

  • O maior amor do mundo (2006)
  • Deus é brasileiro (2003). Em parceria com João Ubaldo Ribeiro.
  • Orfeu (1999). Colaboração de Hermano Vianna, Hamilton Vaz Pereira, Paulo Lins e João Emanuel Carneiro.
  • Tieta do Agreste (1995). Co-escrito com João Ubaldo Ribeiro e Antonio Calmon.
  • Veja esta canção (1994). Parcerias com Euclides Marinho, Rosane Svartman, Fabiana Egrejas, Miguel Faria, Walter Lima Jr. e Isabel Diegues.
  • Um trem para as estrelas (1987). Co-escrito com Carlos Lombardi.
  • Quilombo (1983)
  • Bye bye Brasil (1979). Co-escrito com Leopoldo Serran.
  • Chuvas de verão (1977)
  • Xica da Silva (1976). Em parceria com João Felício dos Santos.
  • Quando o Carnaval chegar (1972). Em parceria com Hugo Carvana e Chico Buarque.
  • Os herdeiros (1969)
  • A grande cidade (1966). Em parceria com Leopoldo Serran.
  • Ganga Zumba (1963). Escrito com Leopoldo Serran e Rubem Rocha Filho.
  • Cinco vezes favela (1961). Episódio Escola de Samba – Alegria de Viver. Escrito em parceria com Carlos Estevão Martins.

Produtor

 

  • Não devore meu coração (2017), de Felipe Bragança. Produtor associado. 
  • Meu amigo hindu (2015), de Hector Babenco. Produtor associado. 
  • Getúlio (2014), de João Jardim. Produtor associado.
  • 5x pacificação (2012)
  • Cinco vezes favela 2 – Agora por nós mesmos (2010). Filme composto de cinco episódios filmados por diretores egressos de comunidades carentes do Rio de Janeiro, selecionado para o Festival de Cannes.
  • O maior amor do mundo (2006). Com parcerias.
  • Quando o Carnaval chegar (1972). Coproduzido por Mapa Filmes.
  • Os herdeiros (1969). Produção de Carlos Diegues, Luiz Carlos Barreto e Jarbas Barreto.
  • A grande cidade (1966). Coproduzido por Mapa Filmes.
  • Ganga Zumba (1963)