Sergio Rezende

Divulgação Sony
Sergio Rezende

Ajude-nos a atualizar seu perfil.
Envie suas informações para quemequem@filmeb.com.br

Atividade: 
Diretor, Documentarista

Carioca nascido em 1951, já com seu primeiro longa-metragem - o documentário Até a última gota (1980) - recebeu o Prêmio Especial do Júri no Festival de Gramado, o prêmio de melhor documentário no Festival de Mannheim, na Alemanha, e uma menção honrosa no Festival de Havana. Antes, já havia realizado três curtas: Pra não dizer que competi (1974), Leila para sempre Diniz (1975), em codireção com Mariza Leão, e P.S. Te amo (1977). Seu primeiro longa-metragem de ficção, O sonho não acabou, recebeu o Prêmio da Crítica no Festival de Gramado em 1982. Com O homem da capa preta (1985), um perfil de Tenório Cavalcanti, foi o grande vencedor do Festival de Gramado de 1986, iniciando uma trilogia sobre importantes personagens da história do país, completada com Lamarca (1994) e Mauá - O imperador e o rei (1999). Em seguida, realizou Doida demais (1989) e dirigiu a produção inglesa A Child From the South (1992). Em 1997, dirigiu Guerra de Canudos, a maior produção brasileira até então, e também a maior bilheteria do cinema brasileiro daquele ano, com cerca de 650 mil espectadores. O longa participou do Festival de Berlim e foi exibido na televisão em formato de mini-série, na TV Globo. Com Quase nada (2000), recebeu o prêmio de melhor filme do júri popular em Gramado. 

Filmografia selecionada:

  • O paciente - O caso Tancredo Neves (2017)
  • Em nome da lei (2016). Também escreveu o roteiro em parceria com Rafael Dragaud.
  • Salve geral (2008)
  • Zuzu Angel (2006)
  • O cinema é meu jardim (2004)
  • Onde anda você (2004)
  • Quase nada (2000). Prêmio de melhor filme do júri popular no Festival de Gramado. 
  • Guerra de Canudos (1997). Selecionado para o Festival de Berlim.
  • Mauá - O imperador e o rei (1999)
  • Lamarca (1994)
  • A Child From the South (1992). Produção inglesa. 
  • Doida demais (1989) 
  • O homem da capa preta (1985). Prêmio de melhor filme, melhor ator (José Wilker), melhor atriz (Marieta Severo) e melhor trilha sonora original. 
  • O sonho não acabou (1982). Prêmio da crítica no Festival de Gramado.
  • Até a última gota (1980). Prêmio Especial do Júri no Festival de Gramado. Prêmio de melhor documentário no Festival de Mannheim (Alemanha). Menção honrosa no Festival de Havana (Cuba).
  • P.S. Te amo (1977). Curta-metragem.
  • Leila para sempre Diniz (1975). Curta-metragem.
  • Pra não dizer que competi (1974). Curta-metragem.