Ajude-nos a atualizar o seu perfil. Envie suas informações para quemequem@filmeb.com.br
Clóvis Bueno

    Cenógrafo e diretor de arte, nascido em Santos (SP) em 1940. Atuou como cineclubista nos anos 60 e realizou documentários antes de se tornar figurinista de Anuska, manequim e mulher (1968), de Francisco Ramalho Jr. Iniciou a longa carreira de cenógrafo fazendo cenários de filmes como Luz, cama, ação! (1976), de Cláudio MacDowell, e dramas como O torturador (1979), de Antônio Calmon. Nos anos 80, participou de grandes produções nacionais, como Pixote, a lei do mais fraco (1980) e O beijo da mulher-aranha (1984), ambos de Hector Babenco, e Doida demais (1989), de Sérgio Rezende. Seguiu realizando a cenografia e direção de arte de dezenas de longas nos anos seguintes, inclusive produções internacionais como Le Jaguar (1995), de Francis Veber (parte filmada no Brasil), e O incrível Hulk (2008), de Louis Leterrier, das cenas rodadas no Brasil. Em 2005, estreou na direção ao lado de Paulo Betti com o longa-metragem Cafundó, lançado no Festival de Gramado, e vencedor dos prêmios de melhor ator (Lázaro Ramos), melhor fotografia, melhor direção de arte e o prêmio especial do júri.

    Filmografia selecionada:

    Diretor de arte

  • As aventuras de Agamenon, o repórter (2012), de Victor Lopes
  • Lula, o filho do Brasil (2010), de Fábio Barreto
  • O incrível Hulk (The incredible Hulk, 2008), de Louis Letterrier. Direção de arte das cenas rodadas no Brasil.
  • Os desafinados (2008), de Walter Lima Jr.
  • O homem que desafiou o diabo (2007), de Moacyr Góes
  • Terra vermelha (Birdwatchers, 2007), de Marco Bechis
  • Porralokinhas (2007), de Lui Farias
  • O magnata (2006), de Johnny Araujo
  • A dona da história (2004), de Daniel Filho
  • Onde anda você (2003), de Sérgio Rezende
  • Carandiru (2003), de Hector Babenco
  • Lara (2002), de Ana Maria Magalhães
  • Castelo Rá-tim-bum (2000), de Cao Hamburger. Em parceria com Vera Hamburger.
  • Kenoma (1999), de Eliane Caffé
  • Orfeu (1999), de Carlos Diegues
  • Amor & Cia (1998), de Helvécio Ratton
  • A ostra e o vento (1997), de Walter Lima Jr.
  • Jenipapo (1995), de Monique Gardenberg
  • Menino maluquinho (1995), de Helvécio Ratton
  • O monge e a filha do carrasco (1995), de Walter Lima Jr.
  • As meninas (1995), de Emiliano Ribeiro
  • Lamarca (1994), de Sérgio Rezende
  • Moças de fino trato (1991), de Paulo Thiago
  • Doida demais (1989), de Sérgio Rezende
  • Feliz ano velho (1987), de Roberto Gervitz
  • O beijo da mulher-aranha (1984), de Hector Babenco

  • Cenógrafo

  • Os desafinados (2008), de Walter Lima Jr.
  • O beijo da mulher-aranha (2003), de Hector Babenco. Também desenhou o figurino.
  • Carandiru (2003), de Hector Babenco
  • Lara (2002), de Ana Maria Magalhães
  • Brincando nos campos do Senhor (1990), de Hector Babenco
  • A cor do seu destino (1986), de Jorge Duran. Fez também os figurinos.
  • A hora da estrela (1985), de Suzana Amaral. Fez também os figurinos.
  • Floresta de esmeraldas (1984), de John Boorman
  • Pixote, a lei do mais fraco (1980), de Hector Babenco. Também foi responsável pelo figurino.
  • O fruto do amor (1980), de Milton Alencar
  • O torturador (1979), de Antônio Calmon. Fez também o figurino.
  • O pai do povo (1977), de Jô Soares
  • Luz, cama, ação! (1976), de Cláudio MacDowell

  • Diretor

  • Cafundó (2005). Codirigido com Paulo Betti.