Ajude-nos a atualizar o seu perfil. Envie suas informações para quemequem@filmeb.com.br
Lauro Escorel

    Um dos mais conceituados diretores de fotografia brasileiros. Como cineasta, dirigiu o longa-metragem Sonho sem fim (1985), prêmio especial do júri no Festival de Gramado, além de curtas e documentários como Os libertários (1976), prêmio Margarida de Prata da CNBB. Foi assistente de Dib Lutfi e Affonso Beato, antes de estrear como diretor de fotografia em São Bernardo (1971), de Leon Hirzsman, que recebeu o prêmio de melhor fotografia em Gramado. Seu trabalho em Ironweed (1987), de Hector Babenco, filmado nos EUA, lhe abriu as portas para o mercado norte-americano. No exterior, assinou a direção de fotografia de Indecency (1992), de Marisa Silver, Dangerous Heart (1993), de Michael Scott, e Amelia Earhart: The Final Flight (1994), de Yves Simoneau, entre outros. Em 1998, retomou a parceria com Babenco na direção de fotografia de Coração iluminado, que representou o Brasil no Festival de Cannes. É membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood (AMPAS) e um dos fundadores da Associação Brasileira de Cinematografia (ABC).

    Filmografia selecionada:

    Diretor de fotografia

  • O segredo dos diamantes (2014), de Helvécio Ratton
  • Giovanni Improtta (2013), de José Wilker. Prêmio de melhor fotografia no CinePE 2013.
  • A suprema felicidade (2010), de Arnaldo Jabor
  • O contador de histórias (2009), de Luiz Villaça
  • O maior amor do mundo (2006), de Carlos Diegues
  • Irma Vap – O retorno (2006), de Carla Camurati
  • Batismo de sangue (2006), de Helvécio Ratton
  • Vinicius (2005), de Miguel Faria Jr.
  • Jogo subterrâneo (2005), de Roberto Gervitz
  • Acquária (2003), de Flávia Moraes
  • O xangô de Baker Street (2001), de Miguel Faria Jr.
  • Uma vida em segredo (2001), de Suzana Amaral
  • Domésticas (2000), de Fernando Meirelles e Nando Olival
  • Coração iluminado (1998), de Hector Babenco. Representando do Brasil no Festival de Cannes.
  • Critical choices (1996), de Claudia Weill
  • Voices from a locked room (1995), de Malcolm Clarke
  • Stuart saves his family (1995), de Harold Ramis
  • Amelia Earhart: the final flight (1994), de Yves Simoneau
  • Dangerous heart (1993), de Michael Scott
  • Indecency (1992), de Marisa Silver
  • Dias melhores virão (1990), de Carlos Diegues
  • Brincando nos campos do Senhor (1990), de Hector Babenco
  • Ironweed (1987), de Hector Babenco
  • Eu sei que vou te amar (1984), de Arnaldo Jabor
  • Quilombo (1983), de Carlos Diegues
  • Eles não usam black tie (1981), de Leon Hirzsman
  • Prova de fogo (1980), de Marco Altberg
  • Ato de violência (1980), de Eduardo Escorel
  • Bye bye Brasil (1979), de Carlos Diegues
  • Amor bandido (1978), de Bruno Barreto
  • Lúcio Flávio, passageiro da agonia (1977), de Hector Babenco. Prêmio especial do júri no Festival de Gramado.
  • Mar de rosas (1977), de Ana Carolina
  • Coronel Delmiro Gouveia (1977), de Geraldo Sarno
  • O rei da noite (1975), de Hector Babenco
  • Toda nudez será castigada (1973), de Arnaldo Jabor
  • São Bernardo (1971), de Leon Hirzsman. Prêmio de fotografia em Gramado.


  • Diretor

  • Os libertários (1976). Prêmio Margarida de Prata da CNBB.
  • Sonho sem fim (1985). Prêmio especial do júri no Festival de Gramado.